Ensino tradicional

A educação, no século XX, tornou-se algo permanente e social. O modelo tradicional de ensino trata o conhecimento como um conjunto de informações transmitidas pelos professores aos alunos. O adulto é considerado como homem acabado, “pronto” e o aluno um “adulto em miniatura”, que precisa ser atualizado. O homem é considerado como um ser inserido num mundo que irá conhecer através de informações que lhe serão fornecidas. A realidade é algo que será transmitido ao indivíduo principalmente pelo processo de educação formal, além de outras agências, tais como família e Igreja.
O ato de educar é complexo e envolve, por exemplo, o desenvolvimento de formas de pensar, de estruturas mentais e, para isso, não basta que o professor transmita ao estudante um número enorme de informações. O objetivo educacional está relacionado aos valores expressados pela sociedade. Os programas exprimem os níveis culturais a serem adquiridos na trajetória da educação formal. A reprovação do aluno passa a ser necessária quando o mínimo cultural para aquela faixa não foi atingido. As provas e exames são necessários para verificação do mínimo exigido para cada série. Ele desempenha um papel mediador entre a formação cultural e o exercício de funções sociais determinadas. Esse tipo de abordagem possui uma visão individualista do processo educacional, não possibilitando, na maioria das vezes, trabalhos de cooperação nos quais o futuro cidadão possa experiênciar a convergência de esforços. A inteligência é uma faculdade capaz de armazenar informações, de onde se supõe o papel importante da educação formal e da instituição escola.

Sala de aula


A escola é o lugar onde se realiza a educação e funciona como uma agência de uma cultura complexa. É um ensino que se preocupa com a variedade e quantidade de conceitos. Uma das decorrências do ensino tradicional, já que a aprendizagem consiste em aquisição de informações e demonstrações transmitidas, é a que propicia a formação de reações estereotipadas, de automatismos, denominados hábitos, geralmente isolados uns dos outros e aplicáveis, quase sempre, somente às situações idênticas em que foram adquiridos.
O professor detém o poder, metodologia, conteúdo, avaliação e forma de interação na aula. Ele traz o conteúdo pronto e o aluno se limita, passivamente, a escutá-lo. O ponto fundamental desse processo será o produto da aprendizagem. A reprodução dos conteúdos feita pelo aluno, de forma a automática e sem variações, na maioria das vezes, é considerada como um poderoso e suficiente indicador de que houve aprendizagem e de que, portanto, o conteúdo está assegurado. As notas obtidas funcionam na sociedade como níveis de aquisição do patrimônio cultural.
De acordo com Saviani (1991), o método tradicional é o mais utilizado pelos sistemas de ensino, seja ele público ou particular. As escolas mais conceituadas do mundo são bem tradicionais, entre elas as inglesas e suíças. É o modelo de ensino mais utilizado e até mesmo mais desejado pela sociedade. Para Snyders, é ensino verdadeiro e tem a pretensão de conduzir o aluno até o contato com as grandes realizações da humanidade.

Abordagem tradicional

A educação, no século XX, tornou-se algo permanente e social. O modelo tradicional de ensino trata o conhecimento como um conjunto de informações transmitidas pelos professores aos alunos. O adulto é considerado como homem acabado, “pronto” e o aluno um “adulto em miniatura”, que precisa ser atualizado. O homem é considerado como um ser inserido num mundo que irá conhecer através de informações que lhe serão fornecidas. A realidade é algo que será transmitido ao indivíduo principalmente pelo processo de educação formal, além de outras agências, tais como família e Igreja.
O ato de educar é complexo e envolve, por exemplo, o desenvolvimento de formas de pensar, de estruturas mentais e, para isso, não basta que o professor transmita ao estudante um número enorme de informações. O objetivo educacional está relacionado aos valores expressados pela sociedade. Os programas exprimem os níveis culturais a serem adquiridos na trajetória da educação formal. A reprovação do aluno passa a ser necessária quando o mínimo cultural para aquela faixa não foi atingido. As provas e exames são necessários para verificação do mínimo exigido para cada série. Ele desempenha um papel mediador entre a formação cultural e o exercício de funções sociais determinadas. Esse tipo de abordagem possui uma visão individualista do processo educacional, não possibilitando, na maioria das vezes, trabalhos de cooperação nos quais o futuro cidadão possa experiênciar a convergência de esforços. A inteligência é uma faculdade capaz de armazenar informações, de onde se supõe o papel importante da educação formal e da instituição escola.

Sala de aula tradicional


A escola é o lugar onde se realiza a educação e funciona como uma agência de uma cultura complexa. É um ensino que se preocupa com a variedade e quantidade de conceitos. Uma das decorrências do ensino tradicional, já que a aprendizagem consiste em aquisição de informações e demonstrações transmitidas, é a que propicia a formação de reações estereotipadas, de automatismos, denominados hábitos, geralmente isolados uns dos outros e aplicáveis, quase sempre, somente às situações idênticas em que foram adquiridos.
O professor detém o poder, metodologia, conteúdo, avaliação e forma de interação na aula. Ele traz o conteúdo pronto e o aluno se limita, passivamente, a escutá-lo. O ponto fundamental desse processo será o produto da aprendizagem. A reprodução dos conteúdos feita pelo aluno, de forma a automática e sem variações, na maioria das vezes, é considerada como um poderoso e suficiente indicador de que houve aprendizagem e de que, portanto, o conteúdo está assegurado. As notas obtidas funcionam na sociedade como níveis de aquisição do patrimônio cultural.
De acordo com Saviani (1991), o método tradicional é o mais utilizado pelos sistemas de ensino, seja ele público ou particular. As escolas mais conceituadas do mundo são bem tradicionais, entre elas as inglesas e suíças. É o modelo de ensino mais utilizado e até mesmo mais desejado pela sociedade. Para Snyders, é ensino verdadeiro e tem a pretensão de conduzir o aluno até o contato com as grandes realizações da humanidade.

Modelo de aula tradicional com seu Madruga

O vídeo mostra deficiências da Educação Tradicional em sala de aula

O vídeo mostra características da Educação Tradicional

Da nova LDB ao novo Plano nacional … – Dermeval Saviani – Google Livros

Da nova LDB ao novo Plano nacional … – Dermeval Saviani – Google Livros.

História das idéias pedagógicas no … – Dermeval Saviani – Google Livros

História das idéias pedagógicas no … – Dermeval Saviani – Google Livros.

Livro Pedagogia histórico-crítica … – Dermeval Saviani – Google Livros

Pedagogia histórico-crítica … – Dermeval Saviani – Google Livros.

Pedagogia tradicional

 

 

 

 

 


Nesta págima irão encontar vários artigos sobre pedagogia tradicional.

 

pedagogia tradicional – Google Acadêmico.

Capitalismo e educação, [Wagner Gonçalves Rossi]

Scientific Commons: Capitalismo e educação, [Wagner Gonçalves Rossi].

Entradas Mais Antigas Anteriores

Mais acessados

Educação
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.